Governo central tem superávit de R$ 10,7 bi em novembro

O governo central, que reúne as contas do Tesouro Nacional, da Previdência Social e do Banco Central, registrou um superávit primário de R$ 10,735 bilhões em novembro. O superávit é a economia que o governo faz para o pagamento de juros da dívida. O resultado primário, no entanto, exclui as despesas com juros.

CÉLIA FROUFE, Agencia Estado

23 de dezembro de 2009 | 15h15

O saldo positivo do mês passado foi sustentado pelo Tesouro Nacional, que teve superávit de R$ 13,941 bilhões, já que tanto a Previdência Social quanto o Banco Central tiveram déficits de, respectivamente, R$ 3,116 bilhões e R$ 89 milhões. Em outubro, o governo central havia registrado um superávit primário de R$ 11,234 bilhões.

No acumulado deste ano até o mês de novembro, as contas do governo central apresentam um superávit primário de R$ 38,193 bilhões. Esse número, que equivale a 1,34% do Produto Interno Bruto (PIB), é R$ 53,2 bilhões inferior ao superávit acumulado no mesmo período do ano passado (R$ 91,432 bilhões).

Também no acumulado de janeiro a novembro deste ano, as despesas do governo central têm aumento de 16,1%, enquanto as receitas avançaram apenas 1,9% no mesmo período. Em 11 meses de 2009, os investimentos (R$ 27,164 bilhões) do governo central subiram 18% na comparação com igual período de 2008 (R$ 22,953 bilhões).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.