Governo Central tem superávit de R$ 12,918 bi em abril

As contas do governo central (Tesouro Nacional, INSS e Banco Central) apresentaram em abril um superávit primário - arrecadação menos despesas, exceto pagamento de juros - de R$ 12,918 bilhões. O Tesouro Nacional contribuiu para o resultado de abril com um superávit primário de R$ 14,937 bilhões, enquanto que a Previdência Social teve um déficit primário de R$ 2,013 bilhões e o Banco Central um déficit de R$ 5,5 milhões. O resultado de abril é superior ao obtido em mesmo período do ano passado, quando as contas registraram superávit primário de R$ 7,124 bilhões. O resultado é também superior ao de março deste ano, de R$ 6,760 bilhões. No acumulado do ano, as contas do governo central registram um superávit primário de R$ 30,454 bilhões, o equivalente a 5,02% do PIB. No mesmo período do ano passado, o superávit primário acumulado era de R$ 24,719 bilhões, ou 4,65% do PIB. O superávit primário das contas do governo central de janeiro a abril está R$ 2,654 bilhões acima da meta fixada pelo governo para o período. A meta para o primeiro quadrimestre era de R$ 27,8 bilhões. O Tesouro Nacional, em nota divulgada há pouco, classificou o resultado de expressivo e atribuiu o desempenho ao aumento da lucratividade das empresas, o que refletiu em incremento da arrecadação do Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido. O Tesouro também afirma, na nota, que o bom resultado refletiu o "ritmo moderado das despesas", excetuando os benefícios da Previdência Social. O Tesouro, no entanto, destaca que o resultado da Previdência apresentou melhora em abril, devido à redução das transferências a terceiros e despesas com precatórios.

Agencia Estado,

24 Maio 2005 | 16h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.