Governo chinês impõe nova medida para controlar preços

A Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma da China divulgou hoje novas medidas de controle de preços de commodities, após o fracasso em conter a alta de preços de diversos produtos, como grãos e óleos comestíveis. De acordo com as novas regras, grandes produtores precisarão de autorização do departamento de controle de preços do governo antes de promoverem aumentos. Deverão ser comunicados ao governo os aumentos de uma só vez superiores a 4%; elevações acumuladas de mais de 6% em um período de 10 dias ou de mais de 10% em um intervalo de 30 dias. Quem elevar os preços sem motivo terá que reduzi-los ou revertê-los para seus níveis originais, informou a comissão.De acordo com as novas regras, os grandes produtores de mercadorias que estão sob controle de preços terão que pedir a aprovação do governo com 10 dias de antecedência antes da data efetiva de aumento. Entre as produtoras de bens que serão controlados pelo governo estão algumas empresas listadas no mercado acionário, como a Bright Dairy & Food. A Cofco, controladora de companhias listadas em bolsa China Food e China Agri-Industries, também será afetada.HistóricoEssas medidas complementares surgem após uma série de regulamentações anteriores, incluindo a extensão de tarifas mais baixas de importação de soja e aumento da venda de grãos para alimentação, óleos comestíveis e carne das reservas estatais para frear o avanço dos preços. Segundo analistas, o movimento mostrou que o governo chinês está sem opções para controlar o aumento da inflação e optou pelo controle dos preços como uma última alternativa. "Também é provável que o governo eleve mais as taxas de juros" para evitar que a inflação fique ainda mais descontrolada, afirmou Huang Xiao, gerente da Capital Futures. Hoje, o BC chinês elevou o compulsório bancário (recolhimento feito pelas instituições financeiras sobre o total de seus depósitos) em 0,50 ponto porcentual, para 15%. O novo compulsório entrará em vigor no dia 25 de janeiro, um mês após o aumento anterior desses instrumento. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.