Governo chinês não aceitará soja tratada com agrotóxicos

O governo chinês reafirmou hoje que não aceitará nenhum carregamento de soja que contenha sementes tratadas com agrotóxico. A informação foi repassada ao governo pela embaixada brasileira, segundo informou hoje o ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues. Uma missão técnica do governo foi enviada ontem a Pequim para tentar negociar o problema. O objetivo da missão é tentar convencer os chineses a aceitar as normas internacionais que admitem uma tolerância de até 0,2% de presença de sementes tratadas em carregamentos de soja em grão.A reafirmação da "tolerância zero" do governo chinês deve dificultar as negociações. Segundo Rodrigues, que discutiu hoje, no Ministério da Fazenda, o Plano de Safra 2004/2005 com o ministro Antonio Palocci, não cabe ao governo brasileiro discutir qual é a motivação da China em não aceitar sequer os 0,2% tolerados nas demais operações com soja no mundo. "Não quero discutir a posição chinesa porque eles são os compradores. O cliente tem sempre razão; portanto, temos que negociar", observou.Diante da posição reafirmada, Rodrigues já sabe que o tema entrará na pauta de discussões que cumprirá durante a visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva à China. Rodrigues participará da comitiva presidencial. "Agora, teremos três assuntos principais na pauta", informou o ministro. Além da soja, ele pretende concluir, durante a visita, a negociação do acordo sanitário entre os dois países e avançar nas discussões sobre a possibilidade de aumento das exportações de alimentos brasileiros para China, dado o aumento da demanda naquele país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.