Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Governo cobra mais inovação no setor privado

O governo espera que até 2015 os recursos investidos em inovação no Brasil sejam equivalentes entre o setor privado e o público. Atualmente, o governo investe mais, o equivalente a 0,61% do Produto Interno Bruto (PIB), enquanto a indústria investe 0,55% do PIB.

SILVANA MAUTONE, Agencia Estado

23 de março de 2012 | 11h01

"A nossa política visa estimular os empresários para serem protagonistas no sistema de ciência e tecnologia", disse nesta sexta-feira o ministro da Ciência e Tecnologia, Marco Antonio Raupp, que participou de uma reunião com empresários na sede da Confederação Nacional da Indústria (CNI), em São Paulo.

Segundo ele, o governo incentivará o aumento do setor privado em inovação por meio de "isenções tributárias, exonerações de folha de pagamento e oferta de linhas de crédito favoráveis para as empresas desenvolverem sua capacitação interna".

Em agosto do ano passado, o ministério e a CNI assinaram um memorando de entendimento para a implementação da Empresa Brasileira de Pesquisas Industriais (Embrapi), para promover a inovação do setor.

Até agora, três centros de pesquisa integram a Embrapi: o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), o Instituto Nacional de Tecnologia (INT) e o centro de pesquisa do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) da Bahia.

"Queremos ampliar o número de envolvidos. Mas o objetivo não é criar novos institutos. Não é para fazer pesquisa livre, mas trabalhos que façam parte da pauta da indústria", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
tecnologiainovação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.