Beto Barata/PR
Beto Barata/PR

coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Governo comemora discretamente decisão contra Lula

Participando do Fórum Econômico Mundial, equipe adotou discurso low profile durante todo o dia

Célia Froufe, enviada especial, O Estado de S.Paulo

24 de janeiro de 2018 | 20h51

DAVOS - Apesar de ter adotado um discurso low profile durante todo o dia em Davos, integrantes do governo brasileiro comemoraram, ainda que de forma discreta, a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Impossível ter saído melhor, impossível", disse uma fonte, confirmando que acompanhou o passo a passo do julgamento.

O veredicto ocorreu enquanto o presidente Michel Temer recebia convidados - autoridades e empresários brasileiros em um jantar para falar sobre o Brasil e os feitos do governo desde que assumiu, após o impeachment de Dilma Rousseff. O desfecho da condenação unânime por três votos gerou ansiedade entre os que apreciavam o jantar promovido pelo País. Ministros se entreolhavam e comemoravam o placar de três a zero.

No evento, o presidente Michel Temer discursou como de costume. Após o resultado de Lula já ter sido conhecido - ele pediu a palavra novamente, repetiu feitos do governo, mas a percepção era de que estava nitidamente mais alegre. Um dos participantes do encontro foi o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.

++ 'Meus detratores estão na cadeia ou desmoralizados', afirma Temer em Davos

++ Após decisão unânime contra Lula, Bolsa fecha pregão na maior pontuação da história

"Isso não foi discutido (o resultado do julgamento de Lula) porque ocorreu durante o jantar", disse. Para ele, a decisão mostra o funcionamento normal do judiciário brasileiro, que toma a decisão em diversas instâncias. "Se há recurso ou não é uma questão do processo judicial". 

Tudo o que sabemos sobre:
Lula [Luiz Inácio Lula da Silva]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.