Governo contra alta dos combustíveis

O ministro de Minas e Energia, Rodolpho Tourinho, anunciou na quarta-feira a antecipação do leilão de 100 milhões de litros de álcool para conter o aumento abusivo do combustível em diversos postos do País. Tourinho autorizou também a Petrobras a elaborar cronograma para a importação do metanol, substância que seria adicionada à gasolina e ao etanol formando o álcool combustível."Estamos estudando medidas que garantam que o governo não vá ficar assistindo aos reajustes abusivos dos preços dos combustíveis", disse Tourinho. O ministro informou que há possibilidade de o governo constituir mecanismos de controle do mercado através de medidas provisórias a serem enviadas pelo Palácio do Planalto ao Congresso Nacional. Ontem, algumas revendas de Brasília e de Fortaleza chegaram a reduzir os preços do litro da gasolina em até 6%.ANP fiscalizará preços de revendas e distribuidorasO ministro explicou que a Agência Nacional do Petróleo (ANP) fará pesquisa de campo para elaborar uma tabela de preços dos combustíveis praticados pelas revendas e distribuidoras existentes no País. Segundo Tourinho, estas medidas são necessárias para coibir o aumento da margem de lucro e a formação de cartel.A decisão ocorreu porque de janeiro a agosto deste ano, a margem de lucro do litro da gasolina aumentou em cerca de 31%, e do álcool anidro em 118%. Uma das medidas mais emergentes é o aumento da quantidade de álcool e antecipação da data do leilão. Serão vendidos 40 milhões de litros a mais daquilo que tinha sido programado pelo governo. Serão leiloados 100 milhões de litros no dia 17 de agosto.A Petrobras está avaliando a importação do metanol para misturar à gasolina e ao álcool. Tourinho explicou também que a reunião ocorrida na última terça-feira com empresários do setor de combustíveis serviu para que o governo manifestasse a insatisfação quanto ao aumento abusivo dos preços dos combustíveis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.