Governo credita a decisão a fatores específicos da GM

O governo foi informado pela General Motors (GM) sobre a intenção da montadora de abrir um Programa de Demissão Voluntária (PDV) na sua fábrica de São José dos Campos, mas credita a decisão a fatores específicos da empresa e não a um problema setorial do mercado automotivo.

O Estado de S.Paulo

19 de outubro de 2011 | 03h07

Segundo relato da GM a equipes do governo, o PDV não vai resultar em perda de postos de trabalho da empresa.

Autoridades acreditam até mesmo em aumento no número de funcionários, já que a montadora pretende reformular sua produção, alterando o modo como fabrica seus automóveis e incluir novos modelos no cardápio ao consumidor.

A tendência, entendem fontes do governo, é que alguns dos funcionários deixem a empresa e a vaga seja transferida para outra localidade do País, provavelmente para trabalhar em novos modelos da GM. / IURI DANTAS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.