Governo cumpre meta de superávit e segue para revisão de acordo

O governo conseguiu cumprir com uma folga de R$ 2,877 bilhões a meta de superávit primário das contas do setor público (Governo Federal, Estados, Municípios e empresas estatais) acertada com o Fundo Monetário Internacional (FMI) até setembro. Segundo dados divulgados nesta manhã pelo Banco Central (BC), as contas do setor público consolidado acumulam no ano um superávit primário de R$ 57,077 bilhões até setembro. Esse valor é equivalente a 5,08% do Produto Interno Bruto (PIB). A meta fixada no acordo com o FMI para o período era de R$ 54,2 bilhões. No ano passado, de janeiro a setembro, o superávit era de R$ 47,620 bilhões (4,98% do PIB)Todas as metas do acordo com o Fundo terminam em setembro. A missão do FMI, que está no Brasil, avalia justamente o cumprimento dessas metas na quinta e última revisão do acordo atual, que acaba em dezembro. Com a aprovação da última revisão do acordo, o Brasil terá o direito de sacar a última parcela de US$ 8 bilhões.Dados centrais e regionaisEm setembro, as contas do setor público apresentaram um superávit primário de R$ 7,784 bilhões. Pelos dados do BC, as contas do Governo Central (Tesouro, INSS e BC) registraram em setembro um superávit primário de R$ 4,081 bilhões. Os governos regionais (Estados e municípios) tiveram no mesmo período um superávit de R$ 1,327 bilhão. Desse total, R$ 1,192 bilhão foram obtidos pelos Estados e R$ 136 milhões pelos municípios. As estatais ( federais, estaduais e municipais) tiveram no mês passado um superávit de R$ 2,375 bilhões. As estatais federais contribuíram com um superávit de R$ 2,149 bilhões , enquanto as estaduais foram superavitárias em R$ 203 milhões. As estatais municipais também apresentaram superávit primário em setembro de R$ 23 milhõesNo ano até setembro, as contas do Governo Central registram superávit primário de R$ 39,361 bilhões. No mesmo período, o resultado das contas do governos regionais também é superavitário em R$11,441 bilhões As empresas estatais acumulam no período um superávit de R$ 6,274 bilhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.