Governo da Espanha não precisa de resgate, diz autoridade da UE

O comissário de Concorrência da União Europeia, Joaquín Almunia, não acredita na necessidade de um pacote além da ajuda já anunciada aos bancos, que pode chegar a 100 bilhões de euros

Álvaro Campos, da Agência Estado,

18 de junho de 2012 | 12h35

MADRI - O comissário de Concorrência da União Europeia, Joaquín Almunia, afirmou nesta segunda-feira, 18, que o governo da Espanha não precisa de um pacote integral de resgate, além da ajuda já anunciada para os bancos do país, que pode chegar a 100 bilhões de euros. "Eu sinceramente não espero nem acredito nisso", comentou ele em uma entrevista para a emissora local de televisão TV3.

Mas ele apontou que a Espanha vem pagando um preço muito elevado para se financiar nos mercados. "Mesmo assim, as portas dos mercados estão abertas para o país e eu tenho certeza que continuarão assim".

Hoje, o yield do bônus de 10 anos da Espanha atingiu o pico de 7,229%, o maior nível desde a implementação do euro, em 1999, na comparação com 6,838% no fim da tarde de sexta-feira. O spread entre os yields do título da Espanha e da Alemanha também atingiu um novo recorde na era do euro, a 5,70 pontos porcentuais. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Espanhapacoteajuda

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.