Governo da Rússia aprova lista de 11 empresas para privatização

País deverá levantar cerca de US$ 10 bilhões por ano entre 2011 e 2013 

Álvaro Campos, da Agência Estado,

28 de julho de 2010 | 14h16

O governo da Rússia aprovou uma lista de 11 empresas estatais, entre elas seu maior banco e sua maior petroleira, para ser parcialmente vendidas na nova onda de privatizações do país, disse Alexei Uvarov, diretor do Departamento de Ativos do Ministério de Desenvolvimento Econômico. A lista inclui o banco OAO Sberbank e a petroleira OAO Rosneft, mas, ao contrário das expectativas iniciais, não cita a operadora de ferrovias RZhD.

De acordo com informações da imprensa local, com essas privatizações o governo deverá levantar cerca de 300 bilhões de rublos (US$ 10 bilhões) por ano entre 2011 e 2013, totalizando 883,5 bilhões de rublos. Uvarov disse que a lista foi aprovada pelos ministros de Desenvolvimento Econômico e Finanças, segundo a agência de notícias RIA Novosti.

A medida marca uma grande mudança na política da Rússia em relação às empresas estatais. Depois das caóticas vendas de ativos que se seguiu ao fim da União Soviética, nos anos 1990, o país evitou privatizações nos últimos anos.

A lista anunciada hoje também inclui a operadora nacional de oleodutos Transneft, o banco VTB e a operadora de hidrelétricas Rushydro, informou Uvarov. O diretor não deu mais detalhes, mas a imprensa tem dito que os planos do Ministério das Finanças preveem a venda de 27,1% da Transneft, 24,16% da Rosneft e 9,3% do Sberbank. Todas essas empresas já são parcialmente privatizadas. O Estado manteria uma participação controladora em todas as empresas.

A receita obtida com as privatizações deverá ser utilizada para reduzir o déficit orçamentário da Rússia, que aumentou durante a crise econômica, após quase dez anos de superávits. De acordo com o Ministério de Finanças, o déficit deverá diminuir para 2,9% em dois anos, dos 5% que devem ser registrados neste ano. Mas analistas acreditam que os gastos devem aumentar, pois o governo deve destinar dinheiro para programas sociais antes das eleições de 2012. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
rússiagovernoempresasprivatização

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.