Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Felipe Siqueira/Estadão
Felipe Siqueira/Estadão

Governo dará desconto de até 50% para dívidas de PLR com a Receita

A dedução vale tanto para empresas quanto pessoas com dívidas tributárias sobre a participação nos lucros e resultados; adesões começam no dia 1.º de junho e vão até 31 de agosto

Lorenna Rodrigues, O Estado de S.Paulo

20 de maio de 2021 | 18h22

BRASÍLIA - O governo dará desconto de até 50% para empresas e pessoas físicas com dívidas tributárias relativas a contribuições incidentes sobre participação nos lucros e resultados (PLR). Pelo programa anunciado nesta quinta-feira, 20, os devedores terão de pagar de entrada 5% do débito e poderão parcelar o restante - quanto maior o número de parcelas, menor o desconto. 

Para abater 50% da dívida, o contribuinte tem de pagar o montante devido em sete meses. Quem parcelar em 31 meses terá desconto de 40% e, o contribuinte que pagar em 55 meses, de 30%.

As adesões começam no dia 1.º de junho e vão até 31 de agosto deste ano. Para participar, o devedor tem de desistir de recursos administrativos ou judiciais em relação aos débitos inscritos no programa.

De acordo com a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN), há processos no âmbito administrativo e tributário que questionam débitos tributários relacionados ao pagamento de PLR no valor de R$12,5 bilhões. 

“O objetivo é finalizar o litígio no menor tempo viável. O objetivo principal não é a arrecadação. Alguém pode criticar dizendo que estamos abrindo mão do interesse público em prol de recursos imediatos. Não é esse o caso”, garantiu o procurador-geral da Fazenda Nacional, Ricardo Soriano de Alencar. 

O programa anunciado pela Receita inclui, pela primeira vez, débitos que não estão inscritos em dívida ativa.

Tudo o que sabemos sobre:
Receita Federal

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.