Governo de Portugal diz que estabilidade política é crucial para corte do déficit

País diz que permanece comprometido em atender às regras da União Europeia 

Danielle Chaves, da Agência Estado,

24 de março de 2010 | 08h40

O governo de Portugal afirmou que permanece comprometido com a execução de seu plano para cortar o déficit orçamentário do país e atender às regras da União Europeia. Em uma resposta enviada por e-mail a perguntas feitas pela agência Dow Jones, o Ministério de Finanças português disse que "é crucial que, começando agora", o governo e o parlamento deem "sinais inequívocos da estabilidade política e do consenso que são necessários para a rápida implementação" das políticas de ajuste do orçamento.

 

O ministério acrescentou que "na atual situação de nervosismo e volatilidade nos mercados financeiros internacionais, em geral e especificamente em relação a incertezas sobre a recuperação financeira e as finanças públicas no coração da área do euro, é fundamental para Portugal demonstrar um firme compromisso político com a execução do programa de estabilidade e crescimento" para reduzir o déficit orçamentário.

 

O comentário do ministério foi feito depois que a agência de classificação de risco Fitch Ratings rebaixou o rating de dívida soberana de Portugal para AA-, de AA. Recentemente, o ministro de Finanças português, Fernando Teixeira dos Santos, prometeu cortar o déficit orçamentário de Portugal de 9,8% do Produto Interno Bruto (PIB) do país em 2009 para 2,8% do PIB até 2013. As informações são da Dow Jones

Tudo o que sabemos sobre:
Portugalestabilidadedéficitpolítica

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.