Governo de Santa Catarina tenta reduzir multa pelo apagão

O governo de Santa Catarina está tentando convencer a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) a reduzir o valor de uma eventual multa que seja aplicada à distribuidora de energia do Estado por causa do apagão de mais de dois dias que atingiu Florianópolis na semana passada. O argumento é que uma multa alta pode deixar a empresa sem recursos para investir na capital. O pedido foi feito pelo vice-governador Eduardo Moreira e pelo presidente da Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc), Carlos Schneider, à ministra de Minas e Energia, Dilma Rousseff. Segundo o vice-governador, o Estado não é culpado pelo incêndio na linha de transmissão que leva energia à ilha de Santa Catarina, onde fica a maior parte da capital. ?Não admitimos culpa, foi uma fatalidade?, afirmou.O presidente da Celesc pediu a Dilma que a Aneel faça uma licitação para a construção de uma nova linha de transmissão para a ilha, em 230 kV, que seria alternativa à linha existente hoje, de 138 kV. A ministra disse que uma eventual inclusão da linha de transmissão no cronograma de leilões da Aneel dependerá de um estudo a ser feito pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.