Governo descarta adiar concessões devido a protestos

O presidente da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), Bernardo Figueiredo, afirmou nesta sexta-feira, 21, ao Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, que o governo não cogita adiar as concessões de rodovias e ferrovias do Programa de Logística, lançado no ano passado pela presidente Dilma Rousseff, em função da onda de manifestações em todo o País. Segundo ele, o cronograma do leilão do Trem de Alta Velocidade (TAV) que ligará Campinas, São Paulo e Rio de Janeiro também está mantido.

EDUARDO RODRIGUES, Agencia Estado

21 de junho de 2013 | 17h21

"Não cogitamos nenhum adiamento, pois se tratam de projetos positivos para o País", disse Figueiredo. Apesar da repercussão internacional dos protestos que ocorridos nas últimas duas semanas nas principais cidades brasileiras, a EPL continua recebendo normalmente visitas e consultas de investidores estrangeiros em busca de informações sobre os projetos de infraestrutura que o governo pretende licitar no segundo semestre e no começo de 2014.

Tudo o que sabemos sobre:
concessõesEPLFigueiredo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.