AFP
AFP

Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Governo destaca saneamento como prioridade para investimento de fundo árabe

Planalto depende da aprovação do novo marco legal do saneamento no Congresso para viabilizar projetos

Julia Lindner, O Estado de S.Paulo

30 de outubro de 2019 | 09h34

RIAD-  O presidente Jair Bolsonaro reforçou que o saneamento básico foi apresentado como uma das principais áreas de investimento para o fundo soberano da Arábia Saudita, que anunciou a possibilidade de aportar 10 bilhões de dólares no Brasil. O governo depende da aprovação do novo marco legal do saneamento no Congresso para viabilizar projetos. 

“O príncipe (herdeiro da Arábia Saudita) pediu que nós fizéssemos sugestões e uma delas é a questão do saneamento, que é bastante deficitário no Brasil”, disse Bolsonaro a jornalistas na saída do hotel onde está hospedado, em Riad.

Ao Estadão/Broadcast, a secretária do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), Martha Seillier, afirmou que Bolsonaro deixou claro para os sauditas que a infraestrutura e o saneamento básico são áreas prioritárias. Na sequência, elencou os setores de óleo e gás, inteligência artificial e defesa.

“O fato de ele ter aberto a resposta com saneamento básico mostra que para o governo federal essa pauta é prioritária”, disse Seillier. “Essa é a nossa última fronteira de abertura para investimentos privados no Brasil, todos os outros setores a nossa legislação já permite investimentos privados e com isso a gente colhe serviços melhores e de mais qualidade. E o que a gente tem visto no setor do saneamento básico é exatamente o contrário, uma legislação muito fechada e proibitiva para investimento privado.”

Ela disse que o Governo federal está “apoiando fortemente” a aprovação do novo marco legal na Câmara - e que o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), já deu diversas sinalizações favoráveis. “Temos confiança de que será aprovado este ano”, declarou a secretária.

Na Comissão Especial, no entanto, o texto ainda pode passar por modificações. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.