Governo deve contratar 2 mil MW no leilão de energia

O ministro interino de Minas e Energia, Nelson Hubner, disse hoje que o governo deverá promover a contratação de pelo menos dois mil megawatts (MW) no primeiro leilão de energia de reserva, marcado para o dia 30 de abril. O governo publicou hoje no Diário Oficial da União decreto regulamentando esse novo mecanismo de contratação de energia. A energia de reserva é uma espécie de seguro que será contratado pelas distribuidoras e será acionada quando houver descompatibilidade entre o consumo real e a energia já contratada pelas distribuidoras com as geradoras. Os contratos serão por disponibilidade. Mas o primeiro leilão envolverá apenas usinas de biomassa (que utiliza matéria orgânica), que tem custo de geração inferior ao de outras térmicas que já existem no País, como as movidas a óleo. Assim, segundo Hubner, é provável que as térmicas de biomassa entrem em operação antes de outras usinas que não são de reserva, como é o caso das de óleo. O custo tanto do uso como da disponibilidade desse "seguro" será repassado aos consumidores, mas, segundo Hubner, não será muito oneroso.De acordo com o ministro, a regulamentação da energia de reserva impede que ela seja revendida no mercado secundário. Essa energia só poderá ser acionada para suprir eventuais déficits das distribuidoras.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.