Governo deve copiar lei dos EUA para a soja

A legislação a ser adotada pelo Brasil para a mistura de sementes tratadas com fungicidas em lotes de soja terá como base a lei dos Estados Unidos. A informação foi dada hoje pelo governador do Rio Grande do Sul, Germano Rigotto (PMDB), que reuniu-se com o ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues. "A tendência é o padrão americano, o padrão internacional. Ele (Rodrigues) acha que o Brasil não tem como não seguir aquilo que acontece no comércio americano", disse o governador.As normas deve ser publicada nesta sexta-feira no Diário Oficial.O ministério continua investigando a mistura de soja com sementes, prática que levou a China a suspender a compra de oito empresas e a recusar 239 mil toneladas de soja brasileira. A maior parte dos lotes recusados saiu do porto gaúcho de Rio Grande. "Se houve erro, temos que investigar e punir. Mas não podemos deixar que todo o setor seja condenado, como está acontecendo agora, inclusive pela queda de preços", afirmou o governador.A recusa da China em receber carregamentos de soja brasileira pode ter sido influenciada por fatores comerciais, avaliou Rigotto, de forma cautelosa. "Essa é uma opinião pessoal, mas pode haver uma guerra comercial ou uma tentativa de derrubar os preços no mercado internacional", disse. O presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove), Carlo Lovatelli, que também reuniu-se com Rodrigues, disse estar otimista e que, "sanados os pequenos problemas, a China continuará comprando a soja brasileira". Ele classificou o problema com a China como cíclico, pois os chineses tinham interesse numa queda dos preços.

Agencia Estado,

03 de junho de 2004 | 17h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.