Governo diz que já executou 64% do Orçamento deste ano

O ministro do Planejamento, Guido Mantega, apresentou hoje dados para mostrar que o governo está executando o Orçamento num ritmo mais rápido do que 2002. Segundo ele, até junho de 2002, haviam sido empenhados 49% do orçamento. Desses, 35,9% estavam liquidados. Neste ano, no mesmo período, os empenhos chegam a 64,2%, com as liquidações atingindo 39%. Ele ressaltou que a comparação é com o último ano do governo Fernando Henrique Cardoso, quando ?a máquina estava azeitada e era ano eleitoral?. Ele reconheceu que alguns projetos andam mais devagar, até pelo fato de terem sido reformulados. ?Mas o nosso ritmo está bom?, disse.O ministro disse o governo ?não vai mudar? o projeto de lei que regula as Parcerias Público-Privadas (PPP). ?Não vamos mudar, até porque ele foi amadurecido com a participação do Congresso Nacional?, afirmou. Ele admitiu, porém, a possibilidade de ajustar ?um detalhe ou outro?. Um deles é deixar mais explícito que as PPP seguirão as limitações da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). ?Essa também é uma grande preocupação nossa?, afirmou.Mantega informou ainda que o governo vai reforçar o sistema de defesa da concorrência para evitar abusos econômicos e pressão inflacionária. ?Isso é importante porque o Brasil tem alguns setores com algum grau de oligopolização?, disse. No momento, avalia, não há razão para preocupação. ?O aumento de 10% no consumo não preocupa, porque ele estava reprimido?, disse, afastando a hipótese de pressão inflacionária.O ministro vê a retomada das vendas no varejo como um sinal positivo, pois esse segmento é normalmente o último a reagir quando há retomada da atividade econômica. ?Não há dúvida que 2004 será um ano de crescimento no Brasil, essa fatura está liquidada?, afirmou. ?Estamos pensando para frente, para garantir que 2005 tenha um crescimento de 4%, 4,5%, 5%?. Segundo o ministro, o governo mudou sua agenda. No ano passado, o centro era superar a crise. Agora, o centro das atenções é o investimento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.