finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Governo do Paraná não homologará reajustes de pedágio

O governo do Paraná não irá homologar os pedidos de aumento das tarifas de pedágio feitos pelas concessionárias que atuam na região, informou a Agência de Notícias do Estado. Segundo o órgão, o índice apresentado nos últimos dias pelas empresas ficou na casa dos 4,13%. A exceção foi a Econorte, que solicitou aumentos de até 11,49%, em razão do grau tarifário inserido nos contratos de concessão.As seis concessionárias de rodovias que atuam no Estado - Econorte, Viapar, Rodovia das Cataratas, Caminhos do Paraná, Rodonorte e Ecovia - já protocolaram os cálculos de reajuste de tarifas junto ao Departamento de Estradas de Rodagens (DER). O secretário dos Transportes do Paraná, Rogério W. Tizzot, ressalta, no entanto, que o reajuste proposto não será homologado. O argumento do secretário é de que as tarifas são estão muito altas e que um novo reajuste pode prejudicar a economia do Estado.Também faz parte dos argumentos do governo paranaense para não referendar os aumentos o resultado recente dos leilões de pedágio do governo federal. Na concorrência realizada no início de outubro, o deságio das tarifas nos trechos que cortam o Paraná chegaram a 62%, o que gerou tarifas entre R$ 1,02 e R$ 2,54.ConcessionáriasOs maiores aumentos foram requisitados pela concessionária Econorte. A empresa, que administra cerca de 340 quilômetros de rodovias entre o Norte e o Norte Pioneiro do Paraná, solicitou ao DER reajuste de até 11,49% em suas tarifas.A concessionária Ecovia, que gerencia as rodovias que vão às praias paranaenses, requisitou um incremento de 4,59% nos preços cobrados para carros. Com o reajuste, a tarifa atual de R$ 10,90 pode ir para R$ 11,40.

BETH MOREIRA, Agencia Estado

21 de novembro de 2007 | 11h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.