Governo dos EUA diz que teve prejuízo de US$11,2 bi com resgate da GM

O governo dos Estados Unidos teve prejuízo de cerca de 11,2 bilhões de dólares com seu resgate da General Motors, mais do que os 10,3 bilhões que o Tesouro estimou quando vendeu suas ações restantes da GM em dezembro, segundo um relatório do governo divulgado nesta quarta-feira.

Reuters

30 de abril de 2014 | 12h40

O prejuízo de 11,2 bilhões de dólares inclui uma baixa contábil em março de 826 milhões de dólares remanescentes investidos na "velha" GM, disse o relatório trimestral de um regulador do Tesouro.

O governo norte-americano gastou 50 bilhões de dólares para resgatar a GM. Como resultado da concordata da companhia em 2009, o investimento do governo foi convertido em uma fatia de 61 por cento na montadora de Detroit, além de ações preferenciais e um empréstimo.

O Tesouro reduziu gradualmente sua fatia na GM através de uma série de vendas de ações começando em novembro de 2010, com as ações restantes sendo vendidas no dia 9 de dezembro de 2013.

À epoca da venda em dezembro, o Tesouro calculou o prejuízo em 10,3 bilhões de dólares, mas disse que não esperava quaisquer proventos significativos de seu investimento remanescente de 826 milhões de dólares na "velha" GM, segundo o relatório.

O resgate norte-americano da GM e da Chrysler, que recebeu cerca de 12,5 bilhões de dólares, salvou 1,5 milhão de empregos nos Estados Unidos, segundo o Centro de Pesquisa Automotiva.

(Por Eric Beech)

Tudo o que sabemos sobre:
AUTOSGMRESGATEPREJUIZO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.