finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Governo dos EUA terá participação de 7,8% no Citigroup

Diretor do grupo afirma que participação do governo mostra que não se trata de nacionalização

Marcílio Souza,da Agênica Estado,

24 de novembro de 2008 | 14h07

O diretor financeiro do Citigroup, Gary Crittenden, disse nessa segunda-feira, 23, que o plano dos EUA para comprar ações do Citi deixará o governo do país com uma fatia de 7,8% no banco. "A participação do governo está limitada a esse nível, portanto eu não diria que se trata de uma nacionalização em nenhum sentido", afirmou, em entrevista à rede de televisão CNBC.  Crittenden reiterou que, segundo o plano do governo dos EUA anunciado no domingo, 23, o Citi absorverá os primeiros US$ 29 bilhões em perdas com crédito de um conjunto de US$ 306 bilhões em ativos problemáticos e estimou que, depois dessas perdas, o governo ficaria com 90% dos ativos remanescentes e o Citi teria 10%. "Acreditamos que esse seja um evento muito remoto", disse ele.  O executivo disse ainda que o acordo "destaca que o Citi tem solidez para ser proativo. Não acho que perdemos ou ganhamos nesse processo, mas acredito que aumentamos a confiança de que o grupo tem o vigor para fazer o que for necessário nesse ambiente", disse ele.  Ele recusou-se a dizer se o Citi precisará de capital adicional do governo, mas destacou que a instituição possui um forte índice Tier 1. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAcrise financeiraCitigroup

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.