Governo é o maior interessado na reforma do ICMS, diz Mantega

Para ministro, proposta aprovada em comissão do Senado não reflete o equilíbrio da federação 

22 de maio de 2013 | 17h09

BRASÍLIA - O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou nesta quarta-feira, 22, que o governo é o maior interessado na aprovação da reforma do ICMS. No entanto, disse que a proposta aprovada na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado não reflete o equilíbrio da federação.

O ministro afirmou que foram introduzidas novidades, como as alíquotas de serviços e comércios - com as quais o governo não concorda.

"Há problemas em relação ao Fundo de Desenvolvimento Regional", disse o ministro.

"Com estas modificações, não aprovaremos esta lei. O congresso pode modificar estas matérias e se atingir um consenso, então, voltaremos a apoiar esta reforma. Caso contrário, não vale a pena fazê-la", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.