Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Governo esclarece que não propôs acordo de livre comércio com a China

O secretário de desenvolvimento da produção do Ministério do Desenvolvimento, Reginaldo Arcuri, esclareceu na noite desta segunda-feira que o governo chinês não rejeitou a proposta brasileira de negociar um acordo de livre comércio entre os dois países, já que o Brasil não propôs um texto específico sobre o assunto. "A China não recusou um acordo de livre comércio, nem lhe foi proposto um texto", afirmou, corrigindo informação veiculada às 18h28 pela Agência Estado.Segundo o secretário, a China disse que entrou no ano passado na Organização Mundial do Comércio (OMC) e que quer, num primeiro momento, aprender a conviver com as regras da OMC. Disse também que nunca firmou acordo de livre comércio com nenhum país ou bloco.O secretário garantiu que a China vem manifestando interesse de cooperar com o Brasil na área de integração, o que permitirá, futuramente, quando aquele país se sentir pronto para isso, um acordo de livre comércio com o Mercosul.Arcuri lembrou que o ministro do Desenvolvimento, Sérgio Amaral, esteve na capital chinesa Beijing em abril deste ano para iniciar um estreitamento de relações com a China e, em setembro, o próprio Arcuri chefiou a primeira missão técnica para aquele país, para discutir uma articulação industrial entre os dois países.Na última sexta-feira, o ministro do planejamento da China, Zhang Bobao, esteve em Brasília, consolidando as negociações. A secretária de Comércio Exterior do Ministério, Lytha Spíndola, embarcará na quinta-feira para a China em missão de informação e discussão técnica sobre os mecanismos brasileiros de defesa comercial.

Agencia Estado,

11 de novembro de 2002 | 20h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.