Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Governo espanhol decide cortar parte dos subsídios aos medicamentos

‘Sabemos que o gasto com medicamentos é excessivo e que toneladas deles acabam no lixo’, afirmou a ministra da Saúde, Ana Mato

Patrícia Braga, da Agência Estado,

18 de abril de 2012 | 14h29

Ana Mato, ministra da Saúde espanhola, durante entrevista coletiva em Madri

 

MADRI - O governo espanhol informou hoje que seus planos de fazer com que mais pensionistas paguem por parte dos custos de medicamentos que eles recebem sem custo do sistema de saúde do país, na última de uma série de medidas de austeridade para economizar os gastos do governo. "Sabemos que o gasto com medicamentos é excessivo e que toneladas deles acabam no lixo", afirmou a ministra da Saúde, Ana Mato.

Pelas novas regras, os pensionistas espanhóis terão de pagar 10% sobre o custo dos medicamentos. Pensionistas idosos que recebem o piso da pensão estão fora das medidas, enquanto os que recebem o teto mensal para as aposentadores serão taxados em € 8 por mês, o que representa a maioria. De acordo com as estimativas do governo, os pensionistas pagarão em média de € 2 a € 3 por mês pelos medicamentos.

Mato disse que a medidas visam promover o uso melhor do subsídios para os medicamentos, porque a expectativa é que a arrecadação do governo será menor. Ela acrescentou que o governo da Espanha conversará com os fabricantes de medicamentos para que eles possam oferecer doses menores para os tratamentos e assim minimizar o desperdício.

Além do pagamentos aos pensionistas, Mato disse que o governo implementará medidas mais pesadas para o tratamento dos não residentes, procurando evitar o que eles chamam de "turismo de saúde", um passo que pode resultar em certa de € 1 bilhão em economia por ano para o país. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.