finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Governo espera bom senso na negociação com a Bolívia

O presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim, afirmou que as negociações com a Bolívia estão ocorrendo dentro do previsto. Segundo ele, o governo espera que prevaleça o bom senso. "O importante é ressaltar que o abastecimento de gás não está ameaçado." Conforme o presidente da EPE, é do interesse dos dois países que a Petrobras continue presente naquele país.Para Tolmasquim, o que está em discussão agora é se a Petrobras sairá ou não da atividade de refino da Bolívia. No entanto, ele não quis comentar sobre a possibilidade de a estatal deixar também a área de exploração de gás - o que poderia significar um risco para o abastecimento, já que os investimentos de reposição não estariam mais garantidos.Recentemente, o ministro de Minas e Energia, Silas Rondeau, disse à Agência Estado que a estatal brasileira tem mantido os investimentos de reposição na exploração de gás na Bolívia.O secretário de Desenvolvimento e Planejamento Energético, do ministério de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, não quis comentar a questão. "Pela importância do tema, as negociações estão sendo encaminhadas diretamente pelo ministro e somente ele fala sobre o assunto."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.