carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Governo está atento à inflação de demanda, diz Bernardo

O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, afirmou hoje à noite, no Rio, que o governo está atento à chamada "inflação de demanda", gerada pelo maior consumo de produtos alimentícios, muitos deles em período de entressafra, o que tem empurrado para cima o custo de vida. "Evidentemente o governo está muito atento a isso (inflação de demanda). Acho que um dado positivo do PIB é o investimento, que cresceu muito, 13,8%. Isso significa que as empresas estão investindo e vão ter capacidade de produção maior. Isso diminui a possibilidade de inflação maior por conta da demanda", afirmou Bernardo, na 4ª Conferência Brasileira de Seguros, Resseguros, Previdência Privada, Saúde Suplementar e Capitalização (Conseguro). Durante o evento, o ministro também disse que a crise do mercado imobiliário americano não deve ter reflexos no crescimento da economia brasileira, mas admitiu que uma eventual recessão na economia americana ou um crescimento menor da China pode impactar o Brasil. Bernardo comentou ainda que os movimentos de "sobe e desce" no mercado financeiro brasileiro não trazem efeitos para o desempenho econômico. "Eu fico preocupado, e acho que nós temos de ficar muito atentos, porque se houver recessão na economia americana, e principalmente se a China diminuir o ritmo de crescimento, com certeza aí vai ter conseqüências para o Brasil e para o mundo inteiro. Mas tudo indica que neste ano não vai haver nada disso", disse o ministro.

ALBERTO KOMATSU, Agencia Estado

12 de setembro de 2007 | 21h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.