finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Governo estuda alternativas para evitar prejuízos para os bancos

Saída poderia ser a devolução dos impostos pagos ao Fisco quando foi computado lucro no passado

Célia Froufe e Felipe Recondo, O Estado de S.Paulo

22 de novembro de 2013 | 02h02

BRASÍLIA - A saída para manter o equilíbrio do balanço de algumas instituições financeiras poderia ser a devolução dos impostos pagos ao Fisco quando foi computado lucro no passado, segundo fontes ouvidas pelo Estado.

Isso pode ocorrer se houver reversão para prejuízo ou mesmo lucro menor. Quem perde, neste caso, é a Receita Federal. E esse resultado teria impacto sobre o já difícil cumprimento da meta fiscal pelo governo.

Outra possibilidade, mais remota, seria diluir o ressarcimento dos poupadores ao longo dos próximos anos. Para isso, oito dos dez ministros teriam de concordar com a modulação de efeitos de eventual decisão que considere inconstitucional a aplicação dos índices estabelecidos pelos planos econômicos.

Ainda que a defesa do sistema financeiro seja o ponto principal do discurso, o governo não defenderá nominalmente banco a banco. Até porque não teria boa repercussão na opinião pública. Nos bastidores, porém, foram confeccionadas planilhas que comprovariam a queda da rentabilidade das instituições nos anos de anúncio de planos econômicos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.