Governo faz acordo para criar Trem do Pantanal

O governo federal, em parceria com o governo do Mato Grosso do Sul, pretende viabilizar um trem de passageiros no Pantanal sul-matogrossense. O Ministério dos Transportes informou que chegou a um acordo com a concessionária ferroviária Novoeste, que deve devolver à União um trecho ferroviário de 430 quilômetros entre Campo Grande e Corumbá, no Mato Grosso do Sul. Em linhas gerais, o acordo prevê a cisão da Novoeste, que administra desde 1996 uma linha de 1.600 quilômetros de Corumbá (MS) a Bauru (SP). Enquanto o trecho de Corumbá a Campo Grande volta para a União, o restante da malha até Bauru será incorporado à Ferroban (ex-Fepasa), administradora da Malha Paulista. A proposta de cisão já foi encaminhada à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). O novo trem de passageiros já foi apelidado e Trem do Pantanal. A Novoeste vai utilizar suas oficinas para adequar os carros de passageiros do novo trem. Uma das possibilidades é que a Valec, estatal que constrói a ferrovia Norte-Sul do Maranhão, possa implantar o projeto. Para que o trem esteja operando plenamente em 2006, o Estado do Mato Grosso do Sul deverá investir cerca de R$ 22 milhões, ao longo de três anos, enquanto a parcela da União seria de R$ 47 milhões. A concessão da malha Bauru-Corumbá da Rede Ferroviaria Federal, antiga Noroeste do Brasil , ocorreu em 1996. Agora, abre-se caminho para a extinção da Novoeste, que passa a fazer parte da estrutura da Ferroban. A Novoeste, a Ferroban e também a Ferronorte pertencem hoje à holding Brasil Ferrovias, um sistema ferroviário com 4.500 km de linhas que cobre três Estados: São Paulo, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso.

Agencia Estado,

06 Julho 2003 | 12h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.