Governo fecha acordo com agricultores e fornecedores

O governo fechou na tarde desta quinta-feira, 4, um acordo para resolver o problema das dívidas dos agricultores com os fornecedores de insumos. Segundo o governador do Mato Grosso, Blairo Maggi, que participou das negociações, o acordo prevê que as dívidas serão refinanciadas com recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) por um prazo de cinco anos. O volume a ser repassado pelo FAT será de R$ 2,2 bilhões. O Banco do Brasil vai estruturar a operação, mas o risco da operação não ficará com o banco.Para cobrir o risco, foi definida a criação de um fundo que terá aporte pelos produtores de 10% do valor total repassado pelo FAT e de 20% pelos fornecedores. Esse aporte de 20% é equivalente ao desconto que será dado pelos fornecedores aos produtores. O Tesouro entrará com até 15% dos recursos do fundo, em caso de inadimplência elevada, explicou o ministro interino da Fazenda, Bernard Appy, que confirmou o acordo.Essa inadimplência elevada, segundo uma fonte, seria um índice superior a 30%. Uma instituição financeira do mercado vai cobrir o restante do risco da operação. Para aceitar correr o risco, a instituição financeira será remunerada, segundo Blairo Maggi, em 3% e poderá ter um bônus de 20% ao final do período de pagamento, no caso de não ocorrer inadimplência. O governador do Mato Grosso informou que essa instituição financeira deverá ser o Citibank.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.