Governo federal identifica movimentação de black blocs para greve geral

O grupo atuaria pelo menos em São Paulo e em Brasília; a Força Nacional de Segurança está de prontidão no entorno do Planalto e também na Esplanada

Vera Rosa, O Estado de S.Paulo

27 de abril de 2017 | 23h47

BRASÍLIA - O governo federal identificou que black blocs devem se infiltrar em manifestações programadas para esta sexta-feira, 28, contra as reformas da Previdência e da legislação trabalhista. Além disso, o Palácio do Planalto recebeu informações de que logo cedo haverá problemas no transporte público nas principais capitais e vias de acesso a aeroportos podem ser bloqueadas.

Na avaliação do Planalto, os organizadores da greve geral querem criar uma imagem de “caos” no País logo cedo. O monitoramento da cúpula do governo mostra que haverá piquetes de madrugada em garagens de ônibus, principalmente em São Paulo. A paralisação atingirá ônibus, metrôs e trens. Aeroportos não devem fechar, mas está prevista muita confusão na chegada e saída dos terminais.

Auxiliares do presidente Michel Temer foram informados de que haverá radicalização do movimento no fim do dia, em concentrações nos centros das capitais, e há grande preocupação com violência e quebra-quebra.

Até agora, o governo descobriu que black blocs pretendem atuar pelo menos em São Paulo e em Brasília, na Esplanada dos Ministérios. A Força Nacional de Segurança está de prontidão no entorno do Planalto e também na Esplanada.

Apesar da previsão de tumulto e do ambiente de tensão, Temer vai gravar nesta sexta uma mensagem que será veiculada nas redes sociais em comemoração ao 1.º de Maio, Dia do Trabalhador, na qual defenderá as mudanças na lei trabalhista.

Mais conteúdo sobre:
Greve GeralBrasília

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.