Governo grego espera definir cortes até domingo

Equipe da troica de credores (Comissão Europeia, BCE e FMI) está em Atenas para avaliar as reformas e dizer se o país poderá receber mais 31,5 bi

ATENAS , O Estado de S.Paulo

19 de setembro de 2012 | 03h04

O ministro de Finanças da Grécia, Yannis Stournaras, disse que o país deve finalizar até domingo os detalhes de um novo pacote de austeridade que está sendo negociado com a troica de credores internacionais - formada por Comissão Europeia, Banco Central Europeu (BCE) e Fundo Monetário Internacional (FMI). A informação animou os investidores e o índice ASE, da Bolsa de Atenas, fechou a sessão em alta de 2,9%, aos 755,98 pontos.

Falando após uma reunião de quase três horas com o primeiro-ministro da Grécia, Antonis Samaras, Stournaras disse ontem que o país está ficando sem tempo para chegar a um acordo sobre os novos cortes de gastos exigidos pelos credores. "Eu espero que uma decisão saia até domingo", comentou.

Uma equipe da troica está em Atenas avaliando as reformas para dizer se o país poderá receber a próxima parcela do segundo pacote de resgate, de 31,5 bilhões. Um dos principais pontos avaliados são os cortes de mais 13,5 bilhões no orçamento em 2013 e 2014, para que os gregos atinjam as metas de redução do déficit.

Até agora, as conversas com a troica têm se arrastado, em parte porque os líderes dos três partidos que formam a coalizão de governo na Grécia - Nova Democracia, Partido Socialista (Pasok) e Esquerda Democrática - rejeitaram algumas medidas e ainda não chegaram a um acordo para o pacote final. Segundo fontes do Ministério de Finanças, até agora somente cerca de metade do pacote foi aprovado, com a troica citando receios quanto à habilidade do governo grego de implementar muitos dos cortes.

De acordo com um rascunho do programa de austeridade ao qual a Dow Jones teve acesso, os cortes vão incluir 4,8 bilhões em reduções nos pagamentos de aposentadorias e de programas sociais, de 1,5 bilhão nos gastos com saúde e de 1,5 bilhão na folha do setor público.

Contra. Mais de dois terços dos gregos são contrários aos termos do pacote de ajuda, segundo uma pesquisa de opinião divulgada ontem, e a grande maioria espera ser atingida pela nova rodada de cortes que o governo está preparando para cumprir o acordo.

A pesquisa, conduzida pela Public Issue para a TV Skai e o jornal Kathimerini, mostrou que 68% dos gregos se opõem aos termos do programa de assistência da Grécia com os credores internacionais. Para 74% dos entrevistados, o país está na direção errada. / DOW JONES NEWSWIRES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.