Governo grego indica à população que pode não entregar promessas de reformas

Mesmo com o novo governo da Grécia correndo para entregar sua prometida lista de reformas aos credores europeus, o primeiro-ministro Alexis Tsipras tem preparado, sem alarde, o povo da Grécia para a possibilidade de que ele não entregará totalmente suas promessas.

DOW JONES NEWSWIRES, Estadão Conteúdo

22 Fevereiro 2015 | 11h52

Em meio à retórica impetuosa e desafiadora de Tsipras ao exterior nas últimas semanas, ele também tem passado uma mensagem para amenizar expectativas no território doméstico. E enquanto muitos analistas na Europa viram o acordo da última sexta-feira como um sinal de que o governo grego se rendeu às suas promessas pré-eleições, poucos gregos, ao menos por enquanto, enxergam o evento dessa maneira.

Após semanas de discussão com os países parceiros da zona do euro, o governo da Grécia mudou o rumo das conversas e viu, na semana passada, uma possibilidade de estender seu programa de resgate financeiro de US$ 273 bilhões - algo que o governo liderado pelo partido esquerdista Syriza disse anteriormente que não faria. Para fechar o acordo, a Grécia deve apresentar até segunda-feira uma lista preliminar de reformas, que vão de sonegação de impostos ao aperfeiçoamento da alarmante burocracia do país.

"A decisão de sexta-feira ajudou a acalmar as pessoas, fazendo-as pensar que algo positivo realmente aconteceu", disse Athanasios Paraskevas, um farmacêutico de 54 anos.

Mais conteúdo sobre:
GRÉCIARESGATE@estadaoconteudo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.