Sergio Moraes/Reuters - 3/1/2019
Sergio Moraes/Reuters - 3/1/2019

Governo indica novos conselheiros para a Petrobrás; almirante deve comandar colegiado

Indicações foram feitas depois que conselheiros pediram para deixar os cargos, no início do ano; nomes ainda precisam ser aprovados por acionistas

Fernando Nakagawa, O Estado de S.Paulo

14 de janeiro de 2019 | 11h39

A União indicou três novos membros para o Conselho de Administração da Petrobrás. Em fato relevante, a companhia anunciou que os indicados são Eduardo Leal Ferreira, John Milne Albuquerque Forman e João Cox. Os nomes serão submetidos aos procedimentos de governança da petroleira que incluem análises de "conformidade e integridade requeridas pelo processo sucessório da companhia, com apreciação pelo Comitê de Indicação, Remuneração e Sucessão, e pelo Conselho de Administração e, posteriormente, pela Assembleia Geral de Acionistas".

Os três indicados substituirão Luiz Nelson Carvalho, Francisco Petros e Durval José Soledade Santos no Conselho. Carvalho e Petros renunciaram aos postos em 1º de janeiro. Já o pedido de saída de Soledade Santos foi apresentado nesta segunda-feira e será efetivo a partir de 4 de fevereiro.

Entre os indicados, Eduardo Leal Ferreira foi escolhido pela União para ocupar a presidência do Conselho de Administração da estatal. Segundo o fato relevante, ele é Almirante de Esquadra e foi Comandante da Marinha até janeiro de 2018. Além da Escola Naval, Leal Ferreira tem formação na Escola de Guerra Naval do Brasil, na Academia de Guerra Naval do Chile e na Academia Naval de Annapolis dos Estados Unidos. Antes de ser Comandante da Marinha, foi Chefe do Estado Maior da Marinha e Comandante-em-Chefe da Esquadra.

"Leal Ferreira foi treinado e teve suas capacidades de liderança, gestão e visão estratégica testadas e aperfeiçoadas ao longo de muitos anos de experiência", cita o fato relevante que não menciona experiência em empresas, nem no setor de petróleo e gás ou energia.

Segundo indicado, John Milne Albuquerque Forman é graduado em geologia e tem mestrado no mesmo tema pela Universidade de Stanford, nos Estados Unidos. Ele foi professor da Escola de Geologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e chefe do Departamento de Geologia Econômica e Minas do Instituto de Geociências da UFRJ, além de membro do Conselho Científico e Tecnológico do Conselho Nacional do Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Forman foi Presidente da Unipar e já ocupou cargo de diretor da Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP). Também foi membro do Conselho de Administração de companhias privadas e estatais na indústria petroquímica e energia.

Terceiro indicado, João Cox é economista com especialização em economia petroquímica pela Universidade de Oxford, no Reino Unido. Como executivo do setor privado, foi presidente das operadoras de telecomunicações Claro e Telemig Celular. Segundo o fato relevante, Cox também passou pelo conselho de Administração de diversas companhias, como Tim Brasil - onde é presidente do Conselho, além de Tim Participações, Embraer, Linx e Braskem.

"A nova composição do Conselho de Administração, após aprovadas as indicações, manterá o percentual mínimo de 40% de membros independentes, em estrita observância ao Estatuto Social da companhia", destaca o fato relevante.

No documento, o presidente da companhia, Roberto Castello Branco, comentou que "no passado recente foi construída sólida governança corporativa e instituídas rigorosas normas de integridade e conformidade, que serão preservadas e se necessário reforçadas". "Foi um ciclo que se encerrou. Uma nova era se inicia com uma visão estratégica de longo prazo e objetivo de geração de valor para os acionistas e para o Brasil. As modificações na administração da Petrobras refletem a nova orientação", cita o presidente da empresa no fato relevante.

Mais conteúdo sobre:
Petrobrás

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.