coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Governo investirá R$ 355 mi na pesquisa de biocombustíveis até 2008

A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, disse nesta quarta-feira que os investimentos do governo, incluindo as empresas estatais, em pesquisa e desenvolvimento de biocombustíveis entre 2006 e 2008 deverão somar cerca de R$ 355 milhões. Segundo ela, esse "orçamento" para o setor inclui recursos aportados pelos Ministérios de Minas e Energia e Ciência e Tecnologia, pela Petrobras e Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).Em pronunciamento durante o 1º Encontro Nacional do Biocombustível, promovido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), Dilma ressaltou que boa parte dos recursos será investida pela Petrobras (cerca de R$ 129 milhões até 2008). O Ministério de Ciência e Tecnologia, por sua vez, investirá R$ 35,7 milhões em pesquisa de biodiesel e R$ 10,5 milhões na de etanol.Dilma estimou que, com o uso de biodiesel, o Brasil economizará cerca de US$ 160 milhões por ano com a redução das importações de diesel mineral. MetaA ministra reiterou que o governo está estudando a possibilidade de antecipar a meta de obrigatoriedade de mistura de 5% de biodiesel ao diesel comum, originalmente prevista para 2013. Ela ponderou, entretanto, que isso ainda está sendo avaliado tecnicamente no governo. "Temos de ser cautelosos para não cometer aventuras", argumentou ela.A ministra mencionou que, nos quatro leilões de biodiesel já realizados até hoje, foram contratados 840 milhões de litros do combustível, o que já é suficiente para atender a meta de 2% de mistura ao diesel, que começará, por lei, a ser aplicada a partir de 2008.Dilma disse, também, que o governo estima que, até o fim de 2006, deverá quase dobrar a quantidade de postos de abastecimento de combustíveis que venderão diesel misturado a biodiesel, de atualmente 2.300 para 4.010 postos.EstímuloA ministra afirmou que o governo pretende estimular empresas a desenvolverem tecnologias de produção industrial de biocombustíveis. "Hoje já temos grandes produtores de equipamentos para usinas de álcool e biodiesel. Temos um parque industrial pesado nessa área", disse Dilma.Durante sua palestra, Dilma afirmou mais de uma vez, que no futuro o País poderia vir a ter uma bio-refinaria para processar esses produtos. Dilma também afirmou que até o ano que vem pelo menos três refinarias da Petrobras já deverão estar empregando a tecnologia desenvolvida pela estatal, conhecida como H-Bio, que consiste em utilizar óleo vegetal na produção do diesel mineral, gerando um diesel menos poluente. As três refinarias que até o fim de 2007 utilizarão a tecnologia H-Bio para produzir diesel são a Refinaria Gabriel Passos (Regap), Belo Horizonte; Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), no Paraná e a Refinaria Alberto Pasqualini (Refap), no Rio Grande do Sul. "Folga"O primeiro-tesoureiro da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Alexandre Furlan, previu nesta quarta em conversa com a Agência Estado, que o País conseguirá, "com uma certa folga", antecipar o cumprimento da lei que determina a mistura de 5% de biodiesel ao óleo diesel convencional. Pela lei atual, a mistura de 5% só será obrigatória a partir de 2013, mas, segundo o dirigente da CNI, no ano de 2008, quando a lei obrigará a mistura de 2%, já haverá condições de se misturarem 5% de biodiesel ao óleo diesel. Furlan, na conversa com a Agência Estado, fez a ressalva de que o País precisará de uma infra-estrutura adequada para escoar a crescente produção de biodiesel, inclusive para poder exportá-lo.Matéria alterada às 18h07 para acréscimo de informações

Agencia Estado,

30 de agosto de 2006 | 12h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.