JF Diorio/Estadão - 31/10/2014
JF Diorio/Estadão - 31/10/2014

Governo zera IOF nas operações de combate à escassez hídrica

A medida alcança as operações destinadas à cobertura, total ou parcial, de custos incorridos pelas concessionárias e permissionárias para combater os efeitos da escassez hídrica no País.

Luci Ribeiro, O Estado de S.Paulo

18 de março de 2022 | 09h39

O presidente Jair Bolsonaro editou decreto que zera as alíquotas do IOF nas operações de combate à escassez hídrica. O ato com a decisão está publicado no Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira, 17.

A medida alcança as operações contratadas pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) destinadas à cobertura, total ou parcial, de custos incorridos pelas concessionárias e permissionárias de serviço público de distribuição de energia elétrica para combater os efeitos da escassez hídrica no País.

A retirada do imposto "aplica-se somente aos fatos geradores ocorridos até 31 de dezembro de 2022" e, de acordo com o Planalto, o benefício vai acarretar uma renúncia estimada em R$ 188 milhões para o ano de 2022.

"A medida se justifica pela situação de escassez hídrica pela qual passa o País, que ocasionou prejuízos financeiros ao setor elétrico", diz a Secretaria-Geral da Presidência da República em nota. "Por se tratar de IOF, estão dispensadas as exigências sobre renúncia de receitas tributárias, previstas na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF)", acrescenta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.