Governo já estuda novos trechos para trem de alta velocidade

Edital do plano original ainda não foi publicado, mas governo pensa em futuras ligações para Belo Horizonte e Curitiba

Michelly Chaves Teixeira, O Estado de S.Paulo

26 de maio de 2010 | 00h00

O edital do Trem de Alta Velocidade (TAV) que liga São Paulo, Campinas e Rio de Janeiro ainda não foi publicado, mas o governo brasileiro já se prepara para elaborar os estudos de viabilidade técnica e operacional referentes à construção de novos trechos. Segundo o ministro dos Transportes, Paulo Passos, os estudos para as ligações Campinas-Belo Horizonte e São Paulo-Curitiba e Campinas-Triângulo Mineiro já estão sendo orçados e começam a ser elaborados em 2011.

Durante o evento "Fóruns Estadão Regiões-Sul", promovido pelo Grupo Estado, o ministro disse esperar para o começo de junho o pronunciamento do Tribunal de Contas da União (TCU) sobre o projeto de licitação do trem-bala. Segundo ele, se a resposta do TCU for positiva, o ministério tem condições de publicar o edital em, no máximo, 15 dias. "Acho perfeitamente razoável que em 2016 tenhamos nosso trem de alta velocidade já em operação", afirmou.

Segundo Passos, a integração dos vários modais é vista como prioridade pelo Ministério dos Transportes. Ele destacou que o foco do governo está na ampliação do sistema ferroviário em bitola larga, com trens capazes de transportar um volume maior de cargas, e na estruturação de corredores hidroviários.

"Hoje, 58% de toda carga no País é transportada por rodovias. Cerca de 25% trafega via ferrovias e o restante pelo sistema aéreo, hidroviário e cabotagem. Temos de mudar isso e promover a integração multimodal", disse. Ele ponderou, no entanto, que as rodovias seguirão recebendo a maior parte dos investimentos do setor. /

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.