Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Governo japonês tomará medidas contra alta do iene

Para os exportadores japoneses, moeda forte prejudica seus lucros no estrangeiro

Efe,

27 de novembro de 2009 | 05h45

O ministro de Finanças do Japão, Hirohisa Fujii, afirmou nesta sexta-feira, 27, que a forte alta do iene frente ao dólar é "anômala", prejudica a economia japonesa e o Governo tomará as medidas apropriadas.

  

O iene, que na última quinta-feira, 26, registrou sua maior alta frente ao dólar em 14 anos, voltava a cair na primeira hora de hoje no mercado japonês até chegar brevemente a 84 ienes por dólar, em meio à grande preocupação dos exportadores.

  

Fujii, apesar de indicar que o Governo manejará a situação de modo "adequado", evitou referir-se a uma eventual intervenção no mercado de divisas, segundo a agência "Kyodo".

  

Perguntado pela possibilidade que se adote uma ação coordenada com os Estados Unidos, indicou que está comprometido a conduzir o assunto de modo "flexível".

  

A revalorização do iene frente ao dólar se produz no meio das previsões que o Federal Reserve americano (Fed) manterá as taxas de juros extremamente baixos durante um tempo, perante uma reativação lenta da economia dos EUA.

  

Para os exportadores japoneses, que constituem um dos principais motores da economia do Japão, um iene forte é prejudicial porque reduz seus lucros no estrangeiro.

  

Em suas previsões para este ano fiscal, muitas empresas contavam com uma mudança de referência de entre 90 e 95 ienes por dólar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.