Governo lança na próxima semana programa para exportações

O governo federal lança na próxima quarta-feira um novo programa para aumentar as exportações e fortalecer a competitividade dos produtos brasileiros - o ExportaCidade. Nele, municípios com vocação para vender ao exterior serão selecionados para receber ajuda que vai desde apoio para participar de feiras internacionais até treinamento de micro e pequenos empresários locais.A primeira cidade selecionada pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior para implantar o programa foi Campo Largo, no Paraná. Outras nove cidades já foram escolhidas: Nova Friburgo (RJ), Maués (AM), Marituba (PA), Juazeiro (BA), Sobral (CE), Anápolis (GO), Dourados (MS), Jaraguá do Sul (SC) e Diadema (SP). A solenidade de lançamento do programa contará com a presença do ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan.Campo Largo foi escolhida porque exporta uma variedade grande de produtos. Segundo dados do Ministério do Desenvolvimento, o município exportou US$ 354 milhões no ano passado, dos quais US$ 314 milhões foram de motores para automóveis, US$ 20 milhões de ladrilhos de cerâmica e US$ 1,8 milhão de artigos para serviço de mesa e cozinha. As vendas ao exterior foram 12,4% maiores do que em 2003 e os principais países que compraram os produtos de Campo Largo em 2004 foram Reino Unido (US$ 225 milhões), China (US$ 43 milhões) e México (US$ 41 milhões).O ExportaCidade prevê a instalação de núcleos de apoio aos exportadores em parceria com instituições locais, mapeamento da quantidade, qualidade e capacitação da produção local e inserção das empresas desses municípios em feiras e exposições nacionais e internacionais. Também capacitará pequenos e micro empresários em assuntos de comércio exterior e promoverá produtos por meio de trading companies. O Ministério do Desenvolvimento já tem um programa similar para os Estados, chamado Encomex.Em junho, Nova Friburgo será a próxima cidade a implantar o programa. As dez cidades foram escolhidas com os governos estaduais, levando em conta os perfis sócio-econômicos, a infra-estrutura, a quantidade de empresas instaladas nos municípios e a existência de Arranjos Produtivos Locais (APLs), que concentram na mesma localidade todos os elos da cadeia produtiva.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.