Reprodução/Dataprev
Para a consulta, é necessário informar CPF de quem pediu o benefício, nome completo, nome da mãe e data de nascimento, tudo como consta na base de dados da Receita Federal. Reprodução/Dataprev

Governo lança novo site para consulta a auxílio emergencial de R$ 600

Antes, os cidadãos só tinham acesso ao aplicativo e portal do auxílio emergencial disponibilizados pela Caixa

Redação, O Estado de S. Paulo

05 de maio de 2020 | 20h15

BRASÍLIA - Os brasileiros que fizeram a solicitação do auxílio emergencial de R$ 600 para trabalhadores informais poderão consultar o andamento do pedido em um novo portal disponibilizado pela Dataprev, empresa pública responsável pelo processamento dos dados.

O novo portal pode ser acessado por meio dos endereços Consulta Auxílio da Cidadania e Consulta Auxílio do Dataprev. Antes, os cidadãos só tinham acesso ao aplicativo e portal do auxílio emergencial disponibilizados pela Caixa. Por lá, é possível saber se o pedido já foi respondido ou ainda está em análise. No entanto, não há informações da situação exata do pedido, caso ele ainda esteja sendo processado.

O processamento tem várias etapas: a Caixa coleta as informações e envia para a Dataprev. A empresa faz o cruzamento dos dados para ver se o cidadão tem direito ao benefício. Ao concluir o processamento, a Dataprev homologa os resultados com o Ministério da Cidadania. A partir daí, a resposta é enviada à Caixa, que então muda o status no aplicativo e efetua o pagamento.

Desde o início da operação, no começo de abril, usuários têm reclamado da demora na análise e pela falta de informações sobre o real status do pedido. “O objetivo é dar transparência ao procedimento de análise, processamento, homologação e pagamento do benefício”, disse hoje a Dataprev.

Para a consulta, é necessário informar CPF de quem pediu o benefício, nome completo, nome da mãe e data de nascimento, tudo como consta na base de dados da Receita Federal.

Será possível acompanhar todo o detalhamento dos pedidos, como: resultados, datas de recebimento e envio dos dados pela Caixa à Dataprev e vice-versa, além da motivação da negativa do benefício. A análise da segunda solicitação, caso tenha sido necessária, também poderá ser conferida.

Resultados

Em menos de um mês, 97,7 milhões de cadastros passaram pelos sistemas de conferência da Dataprev e foram homologados pelo Ministério da Cidadania, incluindo os três grupos de beneficiários potenciais do auxílio: quem recebe Bolsa Família, quem está no Cadastro Único de programas sociais e trabalhadores informais, autônomos, microempreendedores individuais e desempregados que solicitaram pelo site ou aplicativo.

Desse total, 50,5 milhões foram classificados como elegíveis (atenderam aos critérios da lei), 32,8 milhões foram considerados inelegíveis e 13,7 milhões estão inconclusivos e necessitam de complemento cadastral. 

Das 46 milhões solicitações feitas pelo site ou aplicativo entre 7 e 22 de abril, a Dataprev já transmitiu à Caixa o resultado de 44,9 milhões. Os demais estão em “processamento adicional em função da complexidade de cenários e cruzamentos”.

A conclusão do processamento dos requerimentos apresentados entre os dias 23 e 30 de abril por meio do aplicativo e portal da Caixa está prevista para o final desta semana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Auxílio emergencial: quem tenta solicitar os R$ 600 enfrenta problemas no site e no aplicativo

Sistema informa situações diferentes de análise, usuários que estão com status de “Contestação em análise” sem terem enviado novos documentos e mães solteiras que não conseguem o benefício no valor em dobro são alguns dos erros relatados

Diego Kerber, O Estado de S.Paulo

23 de abril de 2020 | 12h00
Atualizado 24 de abril de 2020 | 08h54

SÃO PAULO - Duas semanas depois do início das solicitações do auxílio emergencial de R$ 600 para enfrentar a crise provocada pelo coronavírus,  usuários do site e do aplicativo da Caixa estão reclamando de diversos erros no sistema.

Entre os problemas relatados estão informações desencontradas entre o site e o aplicativo do benefício, usuários com status “Contestação em análise”sem nem enviarem novos documentos e mães solteiras que não conseguem solicitar o benefício em dobro por dados inconclusivos.

O Estado entrou em contato com a Caixa Econômica para entender o que pode ter acontecido em cada um dos casos e o que o solicitante pode fazer para resolver o problema.

Por que meu pedido de auxílio emergencial foi negado?

Segundo a Caixa, só receberão o auxílio emergencial os solicitantes que se encaixarem nos critérios estabelecidos pela lei 13.982/2020. Os critérios definem que o solicitante, seja ele desempregado, trabalhador informal ou MEI (Microempreendedor Individual), deve:

  • ser maior de 18 anos
  • não ter emprego formal ativo
  • não receber benefício previdenciário ou assistencial ou seguro-desemprego, com exceção do Bolsa Família
  • ter renda familiar per capita de até meio salário mínimo (R$ 522,50) ou renda familiar total de até três salários mínimos (R$ 3.135)
  • não ter recebido, em 2018, renda total superior a R$ 28.559,70
  • O benefício é limitado a duas pessoas por família

Os dados coletados pelo aplicativo ou site onde é feito o cadastro são enviados para a Dataprev, que verifica se o solicitante se encaixa nos critérios e informa de volta para o banco. É também a Dataprev a responsável por indicar quem não é elegível para o auxílio e por que não é.

Então, se seus dados não estiverem dentro desses critérios, você está inelegível para receber o benefício. Caso não concorde com a análise da Dataprev, você pode fazer uma contestação no próprio aplicativo do auxílio e fazer uma nova solicitação.

Meu status está como ‘Contestação em análise’. O que é isso?

O status de “Contestação em análise” aparece quando você teve sua primeira solicitação negada e pediu uma segunda análise, ou seja, pediu a contestação do resultado anterior. De acordo com a Caixa, essa é uma nova funcionalidade adicionada ao aplicativo CAIXA | Auxílio Emergencial. O banco ainda afirma que não identificou casos de status de "Contestação em análise" sem que o usuário tenha feito o pedido de contestação.

Caso o solicitante tenha o auxílio negado pelo Cadastro Único, pode fazer a segunda solicitação pelo próprio aplicativo ou site do auxílio.

Por que meu status de análise está diferente entre o aplicativo e o site?

Segundo a Caixa, a diferença de informações entre o site e o aplicativo pode acontecer em momentos de atualização dos dados. O banco alega que, por ser uma base de dados de grande volume  e haver muitas instâncias de servidores das soluções, esse erro pode aparecer durante essas atualizações. No entando, essa divergência de informações é corrigida em pouco tempo.

Meu resultado diz ‘Dados inconclusivos’. O que eu faço?

A Caixa informou que vai liberar a consulta do resultado de análise ainda nesta semana quando receber a relação de brasileiros reprovados para o auxílio emergencial. Caso seu resultado de análise for “Dados inconclusivos”, você pode fazer uma nova solicitação do benefício.

Segundo a Caixa, há alguns motivos para o resultado da análise ser inconclusiva. São eles:

  • marcação como chefe de família sem indicação de nenhum membro
  • falta de inserção da informação de sexo (masculino ou feminino)
  • preenchimento incorreto de dados de um membro da família, tais como CPF e data de nascimento, por exemplo
  • divergência de cadastramento entre membros da mesma família
  • inclusão de alguma pessoa da família com indicativo de óbito

A Caixa recomenda que, apesar de o cadastro ser individual, a família esteja reunida para informar os dados de cada membro corretamente em todos os cadastros.

Quanto tempo demora para eu receber o resultado da análise do meu auxílio emergencial?

Segundo a Caixa, o tempo necessário para análise varia caso os dados inseridos no cadastro estejam corretos ou não. Isso porque as informações enviadas para a Dataprev são comparadas com outras bases de dados do governo, como a Receita Federal, Ministério da Economia, Ministério da Cidadania, entre outros. Esse cruzamento de informações é importante para garantir que o solicitante atenda a todos os requisitos para ter direito ao benefício. Então quanto mais precisas as informações, mais rápida será a análise.

O problema é quando as informações divergem entre as diferentes bases de dados. Nesse caso, é preciso uma análise mais detalhada, que não tem uma estimativa de tempo precisa. A Caixa também afirma que muitos solicitantes não estão preenchendo corretamente informações sobre o grupo familiar, remunerações, situações de carteira de trabalho assinada, entre outras. Isso gera uma lentidão maior na análise.

Caso todos os dados inseridos estejam corretos, o tempo médio para resposta do resultado da análise é de dois a quatro dias. Já quando a análise é concluída e o benefício, aprovado, a liberação do crédito é feita pela Caixa de acordo com o cronograma divulgado e o depósito em conta ocorre de um dia para o outro.

O que devo fazer se eu tiver um problema no meu cadastro ou no aplicativo/site?

Os únicos meios de atualização do cadastro são o site e o aplicativo do auxílio emergencial. O número 111 é apenas para esclarecimento de dúvidas e informações sobre o status da solicitação. Caso o usuário tenha algum problema que leve a dados inconclusivos ou a benefício não aprovado, ele deverá fazer um novo cadastro no caso de dados inconclusivos ou contestar o resultado da análise no caso de reprovação do auxílio.

A Caixa informa que 45 milhões de pessoas já foram cadastradas com sucesso e que o site e o aplicativo recebem um grande volume de acessos simultâneos, que chega a ultrapassar a marca de 1 milhão. Por isso, o banco afirma que está trabalhando para ampliar a capacidade de atendimento de modo a garantir acesso a todos os brasileiros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Quanto tempo demora para receber o auxílio emergencial?

Após o cadastro, são necessários até cinco dias úteis para o solicitante receber uma resposta sobre o benefício de R$ 600

Diego Kerber, especial para O Estado, O Estado de S.Paulo

14 de abril de 2020 | 08h50
Atualizado 17 de abril de 2020 | 12h45

Até a última segunda-feira, 13, a Caixa Econômica informou que pelo menos 34 milhões de pessoas solicitaram o auxílio emergencial de R$ 600 oferecido pelo governo federal desde a abertura do processo de cadastramento, no último dia 7. Mesmo assim, muitos ainda esperam uma resposta para a solicitação. 

De acordo com o banco, após o cidadão preencher todos os dados no site ou no aplicativo para iOS ou Android, é feita a análise dos critérios de elegibilidade do benefício. O prazo de retorno da solicitação é de até cinco dias úteis e o solicitante pode acompanhar o resultado pelo próprio aplicativo.

Para Entender

Saiba tudo sobre o auxílio emergencial de R$ 600

Trabalhadores informais, autônomos, desempregados e MEIs já podem solicitar o benefício

Para consultar se o benefício foi liberado, o trabalhador deve entrar no site da Caixa ou no aplicativo do benefício pelo celular e informar o CPF. Caso o cadastro tenha sido feito no site ou no app do banco, o crédito do benefício será feito na conta indicada no momento da solicitação do auxílio, ou será aberta de forma automática uma conta digital no banco para isso.

Tanto o andamento da requisição quanto do crédito do benefício podem ser acompanhados no meio digital onde foi feita a solicitação. Basta clicar na opção “Acompanhe a sua solicitação”.

A Caixa ainda informa que, depois que o cadastramento for processado, o valor será disponibilizado ao beneficiário em até três dias úteis. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Auxílio emergencial: Caixa amplia horário de todas as agências a partir desta segunda-feira

Objetivo é atender alta demanda pelo saque do auxílio emergencial de R$ 600; todas as agências passarão a abrir com duas horas de antecedência

Redação, O Estado de S.Paulo

04 de maio de 2020 | 12h45

SÃO PAULO - A partir desta segunda-feira, 4, todas as agências da Caixa Econômica Federal vão ampliar o horário de atendimento com abertura antecipada de duas horas. Todas as unidades passarão a funcionar no período da 8h às 14h. No dia 22 de abril, 1.102 agências do banco já haviam começado a funcionar nesse horário. A Caixa também abrirá pelo menos 2,1 mil agências no próximo sábado, 9, para o pagamento do auxílio emergencial de R$ 600, segundo Pedro Guimarães, presidente da instituição financeira.

Ele afirmou ainda que, até o momento, 50 milhões de pessoas já receberam o auxílio emergencial, em um montante total de R$ 35 bilhões.

Segundo a Caixa, a ideia é desafogar o atendimento presencial e evitar aglomerações e filas em frente às agências para combater a disseminação do novo coronavírus. O banco já vem tomando medidas para diminuir as aglomerações em suas unidades, como abrir algumas agências para atendimentos essenciais em fins de semana e feriados. No último sábado, 2, por exemplo, 902 agências estavam funcionando exclusivamente para saque do auxílio emergencial das contas de Poupança Social Digital.

A Caixa também alocou mais de 2.800 vigilantes adicionais, dos quais 2 mil já estão atuando, e 389 recepcionistas para ajudar na orientação do público e no atendimento. 

No dia 1º de maio, o banco já havia anunciado medidas para reforçar o atendimento nas agências, incluindo a realocação de mais de 3 mil funcionários para aumentar as equipes nas unidades. Também serão disponibilizados cinco caminhões-agência para atender pessoas em locais com maior necessidade.

Canais digitais ainda têm problemas

Muitos usuários continuam reclamando do serviço nos canais digitais do banco, como o aplicativo CAIXA Tem. Ele é o único canal digital em que o beneficiário pode acessar o auxílio emergencial da Poupança Social Digital e tem apresentado problemas devido ao alto número de acessos simultâneos. A Caixa informou que está trabalhando para melhorar o atendimento tanto presencial quanto digitalmente, mas não deu um prazo para que as falhas sejam corrigidas.

Mesmo com os problemas, o banco recomenda que todos os processos envolvendo o auxílio, desde a solicitação até a movimentação dos recursos, sejam feitos digitalmente. A ideia é que os usuários procurem pessoalmente as agências apenas em último caso, seja para serviços essenciais ou saque em dinheiro do benefício das contas digitais.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

'Não precisa chegar de madrugada na agência', diz presidente da Caixa sobre auxílio

Pedro Guimarães assegurou o atendimento para todos que chegarem na fila até as 14h; banco já trabalha em medidas para ampliar capacidade do serviço

Fabrício de Castro, O Estado de S.Paulo

05 de maio de 2020 | 18h45

BRASÍLIA - O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, afirmou nesta terça-feira, 5,  que a situação de atendimento aos clientes em agências do banco está “muito melhor” agora. Segundo ele, não há necessidade de as pessoas chegarem de madrugada para o recebimento do auxílio emergencial, porque todos que chegarem até 14 horas - antes do fechamento -, serão atendidos na mesma data.

A Caixa afirma ainda que intensificou o atendimento de quem está na fila, com a prestação de informações e geração de códigos (tokens) para a realização de saques conforme o calendário de pagamento, e informando sobre a necessidade de se manter o distanciamento.

O horário estendido de funcionamento começou na segunda-feira, 4, após o registro de filas nas agências do País, começando inclusive na madrugada. No próximo sábado, 9, mais de 2 mil agências vão abrir para atendimento do auxílio emergencial em todo o Brasil.

Segundo a Caixa, cerca de 3 mil funcionários foram direcionados para o atendimento nas agências mais críticas. Além disso, estão sendo contratados 4.800 vigilantes e 889 recepcionistas para reforçar a orientação e o atendimento ao público. Outros cinco caminhões-agência atenderão beneficiários do auxílio emergencial em locais com maior necessidade, sobretudo no Norte e Nordeste.

O banco informa ainda que está em contato com as prefeituras para fechar parcerias para organização e atendimento à população. Em várias cidades pelo País, as prefeituras demarcaram locais para as pessoas ficarem posicionadas para que haja distanciamento entre elas. Outras estão montando até estruturas cobertas com cadeiras para a população esperar pelo atendimento.

Como mostrou reportagem do Estado, os beneficiários do auxílio emergencial do governo, lançado para combater os efeitos da pandemia do novo coronavírus sobre a população de baixa renda, chegaram a dormir na porta de agências para receber o pagamento de R$ 600.

Em entrevista virtual na tarde de ontem, Guimarães afirmou que 50 milhões de pessoas se beneficiaram do auxílio. Deste total, 31,5 milhões são pessoas que receberam depósitos em suas contas e que já tinham familiaridade com os serviços bancários. Outras 18,5 milhões de pessoas receberam os valores em contas digitais por não terem relação com instituições financeiras.

Esta parcela da população, conforme Guimarães, precisa de maior auxílio dos funcionários da Caixa. “Muitos estão realizando saques nas agências pela primeira vez”, disse. De acordo com o presidente do banco, porém, boa parte desta população mais carente já foi atendida nos últimos dias, o que deve reduzir as filas nas agências no restante desta semana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.