Governo leiloa usinas no Madeira

O Complexo do Rio Madeira, de 6.450 megawatts (MW), é o empreendimento elétrico mais importante e desafiador do Brasil hoje. Mas, apesar da relevância, está longe de resolver todos os problemas de energia do País. A energia produzida pelas duas usinas (Santo Antônio e Jirau) representa apenas um quarto da energia que o País precisa acrescentar ao sistema entre 2012 e 2016. Ou seja, para atender à demanda seria necessário construir um Complexo do Madeira por ano, segundo projeção do Plano Decenal de Energia de crescimento econômico anual de 4,9%.Na avaliação dos especialistas, os números são um alerta da necessidade de concessão de novos empreendimentos, de médio e grande porte, e mais agilidade para tirar os projetos do papel. As hidrelétricas do Madeira, por exemplo, começaram a ser estudas há cerca de seis anos e apenas agora serão concedidas aos investidores. A primeira, Santo Antônio, de quase R$ 10 bilhões, será leiloada hoje, em Brasília, e é vista como a salvação do País. Já a disputa por Jirau deve ocorrer no ano que vem.As duas primeiras turbinas de Santo Antônio, de um total de 44 máquinas, devem começar a operar no fim de 2012. As demais unidades entrarão em funcionamento no ritmo de uma por mês. No total, a usina demorará 7 anos e 5 meses para operar na capacidade máxima, segundo o projeto entregue à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Ou seja, estará concluída por volta de 2016. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.