Governo lista cidades que ficarão sem TV analógica

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, afirmou nesta quinta-feira que o governo deve definir nos próximos dias as cidades que terão o sinal de TV analógica desligado já em 2015. O plano do governo é que 600 devem ser contempladas, mas há pressão por parte do setor de radiodifusão para reduzir esse número.

ANNE WARTH, Agencia Estado

15 de agosto de 2013 | 17h08

A ideia é começar pelas maiores municípios e regiões metropolitanas do País. O cronograma de desligamento terá início em 1º de janeiro de 2015 e termina em 31 de dezembro de 2018. "Na semana que vem, devemos ter a seleção do número de cidades que achamos imprescindível entrar já em 2015", afirmou.

"A pressão é para diminuir o número de cidades. Estamos fazendo uma avaliação e o setor ficou de nos apresentar uma alternativa. É possível que tiremos algumas", acrescentou Bernardo.

O ministro disse que o governo trabalha com vários cenários diferentes de subsídios para a aquisição de aparelhos e para a transferência dos canais analógicos para a plataforma digital. "Depois que definirmos as cidades, temos que ver o tamanho dos subsídios. Isso ainda não está fechado", afirmou.

O ministro participou de cerimônia de assinatura de acordo de parceria técnico-operacional e comercial entre a Eletrosul e a Telebrás. Pelo acordo, a Telebrás poderá utilizar a rede de fibra ótica da Eletrosul para levar o Programa Nacional de Banda Larga (PNBL) para municípios da região Sul do País. A Telebrás não vai pagar aluguel pelo uso da rede da Eletrosul e, em troca, fará investimentos para melhorar a qualidade da rede em benefício das duas empresas.

Tudo o que sabemos sobre:
TV analógicaPaulo Bernardo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.