Governo Lula decide firmar acordo com FMI

O secretário do Tesouro Nacional, Joaquim Levy, informou no início da tarde que o governo Lula decidiu firmar um acordo com o FMI. Ainda não há decisão se o governo fará a continuação do atual acordo, assinado em setembro de 2002 na gestão de Fernando Henrique Cardoso, ou se será estabelecido um novo programa. Também não foi definido o valor do empréstimo. Nesta quarta-feira, a vice-diretora-gerente do FMI, Anne Krueger, estará em Brasília para dar continuidade às conversas.Segundo Levy, o governo já tem "US$ 30 bilhões em caixa" e está "desenhando o que responde melhor às perspectivas de balanço de pagamentos, compromissos internacionais do Brasil.O secretário do Tesouro afirmou que novo acordo deve ajudar no processo de retomada do crescimento econômico.Segundo o chefe da missão do FMI no Brasil, Jorge Marquez-Ruarte, Krueger terá uma conversa "mais definitiva" com o ministro da Fazenda, Antonio Palocci. Na avaliação de Ruarte, o prosseguimento de um programa entre o Brasil e o Fundo será "benéfico" para o País. "O Fundo está sempre disposto a apoiar um programa de governo que tem por objetivo o crescimento e a equidade, e por isso, vemos com satisfação o convite do ministro Palocci à senhora Krueger", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.