Governo Lula decide privatizar banco do Maranhão

Mais de três anos depois de assumir o controle do Banco do Estado do Maranhão (BEM), o governo federal tentará vender a instituição pela segunda vez. Nesta segunda-feira o Banco Central publicou no Diário Oficial o edital para pré-qualificação das instituições interessadas. O banco - que receberá R$ 25 milhões da União - poderá ser vendido em janeiro. Essa será a primeira privatização do governo do PT, que historicamente foi contra a venda de empresas públicas e teve participação ativa nas disputas judiciais com o governo Fernando Henrique Cardoso.Os interessados em participar do leilão de venda do BEM terão de comprovar condições de investir R$ 85,8 milhões no banco, valor correspondente ao dobro do patrimônio de referência da instituição. Com 76 agências na capital e interior do Estado, o BEM, tem 201 mil contas, 523 funcionários e patrimônio líquido de R$ 35,4 milhões, segundo último balanço de junho deste ano. O total de depósitos soma R$ 359,9 milhões e a carteira de crédito da instituição é de R$ 90,7 milhões. O maior atrativo do banco é que a conta do governo local e a prestação de serviços ao Estado e seus funcionários serão asseguradas em contrato até 2010.Quanto aos demais bancos que estão na fila de privatização (do Piauí, de Santa Catarina e do Ceará), o governo diz que não há previsão para venda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.