Governo Lula não terá apagão, garante a Eletrobrás

O presidente da Eletrobrás, Luiz Pinguelli Rosa garantiu nesta quinta-feira que "não há risco de apagão durante o governo Lula". Segundo ele, o apagão de 2001 foi fruto da privatização feita no governo Fernando Henrique Cardoso. Fazendo críticas as "maluquices neoliberais" do governo anterior, ele descartou a possibilidade de privatização ou de federalização das empresas concessionárias que fazem parte do sistema Eletrobrás.Luiz Pinguelli disse que das empresas federalizadas a que se encontra em melhor situação é a Ceal, de Alagoas. Mesmo assim, ainda enfrenta problemas com inadimplência e ligações clandestinas. "Só o setor sucroalcooleiro tem uma dívida de R$ 34 milhões com a Ceal", disse, acrescentando que a Companhia de Saneamento e Abastecimento D´Água de Alagoas (Casal) também deve R$ 8 milhões a Ceal.O presidente da Eletrobrás admitiu, no entanto, que em Manaus (AM) poderá ocorrer problemas de energia nos próximos três anos. "Trabalhamos para evitar apagão a partir de 2005 a 2007", afirmou. Para que essa previsão dê certo, o presidente da Eletrobrás diz que a empresa está investindo "R$ 3,5 bilhões nas subsidiárias Furnas, Chesf e Eletronorte".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.