Governo mantém meta de inflação de 4,5% para 2005 e 2006

O ministro da Fazenda, Antonio Palocci, anunciou na noite desta quarta-feira que o Conselho Monetário Nacional decidiu fixar em 4,5% a meta de inflação oficial do governo medida pelo IPCA para 2006. O CMN reduziu de 2,5 pontos porcentuais para 2 pontos a margem de tolerância da meta a partir de 2006. A meta para 2005 continua em 4,5% e com a mesma margem de tolerância de 2,5 pontos para cima ou para baixo. "Acreditamos que é possível reduzir a margem para 2006", disse.De acordo com o ministro, a meta de 4,5% garante o controle da inflação e o crescimento. Ele disse que num período mais longo o governo buscará uma meta mais baixa, em torno de 4%. Palocci disse que na reunião foi discutido o esforço de convergência da política monetária para a trajetória das metas e considerou que essa política obteve sucesso.O ministro da Fazenda informou ainda que o CMN decidiu manter em 9,75% ao ano a Taxa de Juros de Longo Prazo para o terceiro trimestre do ano. A TJLP é usada normalmente para indexar financiamentos concedidos pelo BNDES.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.