Governo manterá controle da inflação e dos gastos, diz Dilma

O governo manterá o regime de metas de inflação e o controle de gastos. A promessa foi feita nesta segunda-feira pela chefe da Casa Civil, ministra Dilma Rousseff, em entrevista à Rádio CBN. Segundo ela, isso significa que, "de forma bastante cuidadosa, será possível almejar a questão do crescimento econômico".A ministra avalia que, no primeiro ano do primeiro mandato, a situação era muito diferente. "Era uma situação que exigiu do governo um esforço muito grande e até muito bem desempenhado pelo ministro Palocci (ex-ministro da Fazenda) no que se refere à condução da área econômica." Dilma atribuiu a isso o controle da inflação e a queda do Risco Brasil - taxa que mede a desconfiança do investidor estrangeiro em relação à capacidade de pagamento da dívida do País. Segundo ela, essas conquistas resultarão em uma nova fase. Ela explicou que a meta do superávit primário será mantida. Trata-se da economia realizada pelo governo para o pagamento dos juros. Contudo, ela afirma que a gestão dos gastos será mais eficaz. E completou: "vamos ter de enxugar bastante a máquina para possibilitar que a gente invista e mantenha os gastos sociais, vamos ter de ter um esforço muito grande nesta área".PerspectivasDilma avalia que a tendência para a inflação é declinante e, no próximo ano, poderá ficar abaixo da meta. Também prevê um crescimento de 5%, mas destacou que isso será possível a partir de uma política de investimento de infra-estrutura, desoneração de tributos, e racionalização dos gastos públicos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.