Governo monitora preço do álcool, afirma Stephanes

Ministro diz, contudo, que redução da mistura de etanol na gasolina não está em discussão neste momento

CÉLIA FROUFE, Agencia Estado

11 de novembro de 2009 | 10h56

O ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, afirmou nesta quarta-feira, 11, que o governo está monitorando de perto o comportamento dos preços e do abastecimento de álcool no País, mas garantiu que a possibilidade de redução da mistura de etanol na gasolina não está em discussão neste momento. Esta semana, tanto a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) quanto o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, informaram que o governo estuda essa possibilidade.

 

Veja também:

link Combustíveis sobem 1,74% em outubro, diz IBGE

link Governo pode reduzir para 20% mistura do álcool na gasolina

A expectativa é a de que o porcentual de álcool na gasolina caia dos atuais 25% para até 20%. "Estamos passando por um pequeno problema neste momento, mas que não prejudica o abastecimento", afirmou Stephanes após participar do 1º Congresso Brasileiro de Pesquisa em Pinhão Manso, realizado pela Associação Brasileira dos Produtores de Pinhão Manso e pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

"Não vemos perigo de desabastecimento, mas se o desequilíbrio entre oferta e demanda continuar, poderemos mexer no mix mais para a frente", disse, salientando que em várias regiões do País a colheita de cana-de-açúcar está em safra. O ministro acrescentou que a percepção atual do governo é a de que a produção e o mercado se regularão nos próximos meses.

Tudo o que sabemos sobre:
combustíveisálcoolpreço

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.