Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Governo não adiará leilão do Madeira novamente, diz Hubner

Ministro de Minas e Energia afirma que pedido de empresas para mudar data do evento não será atendido

Leonardo Goy, da Agência Estado,

20 de novembro de 2007 | 15h32

O ministro interino de Minas e Energia, Nelson Hubner, disse nesta terça-feira, 20, que algumas empresas interessadas no projeto de construção da hidrelétrica Santo Antonio - no Rio Madeira, em Rondônia - solicitaram ao governo um novo adiamento do leilão de concessão da usina, marcado para o dia 10 de dezembro próximo. O governo, porém, não pretende adiar o evento.  "Essas empresas pediram mais tempo para poderem discutir com seus fornecedores, mas nossa intenção é a de manter a data do leilão", disse Hubner, após participar, no Senado, de audiência pública da Comissão de Infra-Estrutura que discutiu a situação do mercado de gás no Brasil.  Na segunda-feira, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) adiou do dia 22 para o próximo dia 26 o fim do prazo para que os interessados no leilão depositem as garantias exigidas no edital. Esse adiamento, segundo Hubner, foi decidido para atender a um pedido das empresas interessadas no leilão.  Segundo o ministro, por enquanto são quatro os consórcios inscritos para participar do leilão. "Não temos conhecimento de mais algum (consórcio), mas espero que apareça", disse o ministro.

Tudo o que sabemos sobre:
Usinas do Madeira

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.