Governo não buscará conter queda do dólar, diz Mantega

O governo não pensa em adotar nenhuma medida de controle de capitais para conter a queda do dólar frente ao real por julgar que isso seria ineficiente, disse na noite desta terça-feira o ministro da Fazenda, Guido Mantega, após um encontro de três horas com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.Mantega e os principais integrantes da equipe econômica foram convocados por Lula para uma reunião no Palácio da Alvorada, quando foi discutida, entre outros assuntos, a valorização do real. Segundo o ministro, a atual a situação cambial, de crescente queda do dólar, é apenas momentânea. "Essa queda do dólar é um movimento passageiro e foi provocada por melhora do cenário internacional e em especial pela decisão do FED (o Banco Central dos EUA) de não elevar os juros. A melhora dos fundamentos econômicos do Brasil também influiu", disse o ministro.Também estiveram no Alvorada o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, e o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo - o que transformou a reunião numa antecipação do encontro da Câmara de Política Econômica marcado para esta quarta-feira. Mantega lembrou que os dólares que têm entrado no Brasil estão mais relacionados ao comércio externo do que com movimentos financeiros."Uma boa forma de reverter a valorização do câmbio é o incentivo ao crescimento da economia dado pelo Programa de Aceleração do Crescimento, o PAC", declarou Mantega."É claro que eu gostaria que nós tivéssemos um câmbio chinês, pois um câmbio valorizado prejudica a produção. Mas acho que, como este é um movimento passageiro, não haverá prejuízo."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.